Mogadouro com novo Gabinete de Atendimento às Vitimas de Violência Doméstica


Notícia Publicada pelo Diário de Notícias – Lusa a 22 de Fevereiro

“O concelho de Mogadouro vai ter um Gabinete de Atendimento às Vitimas de Violência Doméstica (GAVVD), que tem por objetivo ajudar a prevenir e combater situações de violência de género e doméstica, indicou hoje fonte da autarquia.

O GAVVD do concelho de Mogadouro resulta de um protocolo assinado ente o município e a Associação de Socorros Mútuos do Artistas de Bragança (ASMAB) e insere-se no plano governamental da denominada Estratégia de Territorialização das Políticas Públicas, implementado pela secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

Segundo as entidades promotoras, o objetivo da iniciativa passa por desenvolver um trabalho em rede para o apoio e proteção das vítimas em todo o território nacional e neste caso, no Nordeste Transmontano.

“Este protocolo vai permitir que uma esquipa de técnicos esteja, pelo menos um dia por semana, no concelho de Mogadouro para o atendimento e aconselhamento as vítimas de violência domésticas ou de género”, disse à lusa o presidente da ASMAB, Alcídeo Castanheira.

Outro dos pontos a reter no protocolo assinado, entre as duas entidades, passa por prestar apoio à população mais idosa do concelho que poderá “estar mais desamparada”.

“O concelho de Mogadouro é o segundo do distrito de Bragança a receber este tipo de gabinete. O primeiro foi o concelho de Vinhais, onde temos atingido bons resultados nesta em matéria de prevenção de violência doméstica e de género”, frisou o responsável.

Por seu lado, a técnica da ASMAB, Teresa Fernandes, referiu que tem havido períodos de aumento de situações onde a violência doméstica “é mais visível”, contrapondo “com outros de estagnação”.

“No período de 2016, para 2017, o que verificamos é que houve estagnação nos números de queixas-crime apresentadas relativas à violência doméstica. Aqui há também um trabalho de desocultação deste fenómeno, fruto do trabalho que tem vindo a ser feito juntas das comunidades”, vincou.

Este protocolo vai permitir realizar ações de sensibilização dos técnicos locais e os seus respetivos organismos.

Já o presidente da Câmara de Mogadouro, Francisco Guimarães disse que era imperioso alargar o campo de ação dos serviços sociais do Espaço Mais – Mogadouro Apoia a Inclusão.”

Leia a notícia completa aqui